Sotomayor vira a 1ª hispânica do Supremo americano

Lucía Leal. Washington, 6 ago (EFE).- A juíza Sonia Sotomayor, de ascendência porto-riquenha, virou hoje a primeira pessoa de origem hispânica e a terceira mulher a ocupar um dos nove assentos da Suprema Corte dos Estados Unidos.

EFE |

A nomeação de Sotomayor, aprovada no plenário do Senado com 68 votos a favor e 31 contra, foi confirmada apesar de a grande maioria dos opositores republicanos ter tentado impedi-la.

Como estava previsto, a votação virou um mero trâmite na câmara alta do Congresso. Com 60 das 100 cadeiras da casa, os democratas votaram todos a favor de Sotomayor, com exceção do senador por Massachusetts Edward Kennedy, que está gravemente doente e não compareceu à sessão.

Também não houve surpresas no lado republicano. Os nove legisladores do partido que disseram que boicotariam a nomeação da magistrada, de 55 anos, mantiveram sua postura.

Na semana passada, nos três dias de debate que antecederam a votação definitiva, alguns dos republicanos mais influentes acusaram a juíza de imparcialidade e se disseram receosos de o Supremo ser usado por Sotomayor como palanque para "ativismo político".

Os democratas, por sua vez, classificaram como histórica a presença na Suprema Corte de uma representante da maior minoria do país.

Além de terem dito a seus adversários políticos que estes poderiam perder votos da comunidade latina com sua oposição a Sotomayor, eles também destacaram o histórico e a trajetória da porto-riquenha, criada numa área pobre de Nova York e que estudou nas universidades de Princeton e Yale.

A confirmação da magistrada no cargo representa uma importante vitória política para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, eleito com o apoio de grande parte dos cerca de 50 milhões de latinos que há no país.

Democratas e grupos de hispânicos comemoraram muito a nomeação de Sotomayor para o Supremo, tão histórica quanto à de Thurgood Marshall, o primeiro negro a entrar para o tribunal, em 1967, e a de Sandra Day O'Connor, a primeira mulher (1981) a fazer parte da mais alta instância do Judiciário americano.

Em toda a sua história, a Suprema Corte teve 110 magistrados: 106 homens brancos, dois afro-americanos e duas mulheres.

A nova juíza, que tomará posse em 8 de agosto, terá como colegas sete homens e uma mulher, todos da elite do país. Sotomayor substituirá no cargo o recém-aposentado David Souter.

Apesar de a candidatura de Sotomayor ter gerado algumas suspeitas entre os grupos mais liberais, que criticaram seus estudos em instituições católicas e sua recusa em se pronunciar sobre assuntos como o aborto, a juíza acabou recebendo total apoio do Partido Democrata.

Grupos hispânicos de todo o país se referiram à nomeação da magistrada como um avanço considerável em sua representação nas instituições dos EUA.

Na posse, que pela primeira vez deverá ser exibida pela TV americana, a juíza jurará o cargo acompanhada de outra figura que teve de enfrentar antes de chegar ao Supremo: John Roberts, presidente da entidade. EFE llb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG