Sorgo doce: cultivo ideal para a alimentação e os biocombustíveis

O sorgo doce, um cultivo adaptado a climas secos, que pode ser usado tanto para o consumo humano como na forma de alimento para animais e até como biocombustível, oferece um enorme potencial para responder a necessidades dos países em desenvolvimento, anunciam cientistas.

AFP |

"Consideramos o sorgo doce um cultivo ideal porque pode ser usado para produzir alimentos ou etanol", destaca em um informe William Dar, diretor-geral do Indian Crops Research Institute for Semi Arid Tropics (ICRISAT), um instituto internacional de pesquisa sem finalidades lucrativas.

O sorgo, quinto cereal em importância no mundo depois do arroz, milho,trigo e cevada, cresce em terrenos secos, tolera bem o calor, um alto percentual de umidade ou a salinidade do solo.

O sorgo doce (Sorgum bicolor) parece-se com o milho, com a diferença de que seus grãos ficam no final do caule, tendo as mesmas qualidades nutritivas.

Suas folhas são ricas em açúcar, permitindo a obtenção do etanol por destilação.

Com um cultivo de sorgo "bem administrado, os pequenos agricultores podem melhorar suas receitas em 20% em relação a outras plantações em zonas semiáridas como na Índia", precisa o documento.

Através de uma associação entre a empresa privada indiana Rusni Distilleries e 791 agricultores de Andhra Pradesh na Índia, o ICRISAT ajudou a construir e a fazer funcionar desde o ano passado uma fábrica de etanol a partir do sorgo produzido por eles.

Na Índia, um galão (3,78 litros) de etanol produzido a partir do sorgo custa 1,74 dólar, contra 2,19 dólares pagos pelo fabricado com a cana-de-açúcar e 2,12 dólares pelo combustível proveniente do milho, precisa o informe.

Projetos desenvolvidos sobre esse modelo estão em marcha nas Filipinas, no México, em MoÇambique e Quênia, precisa o documento.

js/chl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG