Washington, 30 jul (EFE).- O número 3 na hierarquia republicana no Senado dos Estados Unidos, Lamar Alexander, disse hoje que votará a favor da confirmação da juíza Sonia Sotomayor para um cargo vitalício na Suprema Corte americana.

Alexander, senador republicano pelo estado do Tennessee, anunciou suas intenções de voto dois dias depois que o Comitê Judicial da Casa desse a permissão à nomeação de Sonia em uma votação de 13 a favor e 6 contra.

Sonia conta com o respaldo dos democratas, grupos hispânicos e as principais organizações jurídicas do país e, se for confirmada, será a primeira latina e a terceira mulher na máxima corte dos EUA.

A decisão de Alexander surpreendeu, porque vai contra a maioria dos republicanos, que disse que votará contra Sonia quando sua nomeação for submetida a debate e a voto definitivo, na próxima semana, no plenário do Senado.

Alexander não está entre os republicanos mais moderados no Senado dos EUA e foi um ferrenho crítico de várias das políticas do presidente Barack Obama.

Durante um discurso no plenário do Senado, disse que não concorda com a filosofia política e judicial de Sonia, sobretudo no que se refere à 2ª Emenda da Constituição sobre a posse de armas, mas adiantou que votará "para sua confirmação porque tem a experiência, temperamento, personalidade e intelecto" para estar na Suprema Corte.

Alexander criticou, no entanto, que o então senador Obama e a metade dos democratas no Senado tenham votado contra o juiz John Roberts como presidente do Supremo "somente porque não estavam de acordo com sua filosofia".

"Os tribunais não foram concebidos para serem entes políticos (...) e devem fazer o contrário: decidir casos difíceis com imparcialidade", afirmou.

O senador explicou que um voto a favor de pessoas altamente qualificadas "ajuda a aumentar o prestígio do Supremo Tribunal e confirmar sua imparcialidade".

Acrescentou que votará por Sonia para que o Senado "retorne à prática, que se perdeu recentemente, de investigar com rigor as qualificações de um candidato".

Em alusão à vitória eleitoral dos democratas no ano passado, Alexander disse que "as eleições têm consequências, uma delas é conferir ao presidente seu direito constitucional de selecionar juízes para a Suprema Corte dos EUA".

No Comitê Judicial só o republicano Lindsey Graham, da Carolina do Sul, votou a favor de Sonia, embora vários líderes republicanos tenham afirmado que também a apoiarão.

Os democratas têm 60 das 100 cadeiras no Senado e, por isso, contam com os votos necessários para impedir qualquer tática de oposição à nomeação de Sotomayor. EFE mp/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.