Sonda da Nasa acha prova da presença de gelo em Marte

WASHINGTON (Reuters) - Cientistas que trabalham na missão Phoenix Mars Lander, da Nasa (agência espacial dos EUA), relataram ter encontrado provas supostamente contundentes de que um dispositivo robótico achou gelo ao escavar a superfície de Marte. A Nasa deve fornecer maiores detalhes sobre a descoberta durante uma entrevista coletiva a ser realizada na sexta-feira.

Reuters |

Uma pequena sonda de exploração pousou em segurança, no mês passado, em um deserto gélido do pólo norte do planeta a fim de procurar por água e avaliar as condições de sustentabilidade de vida ali.

Pequenas porções de um material brilhante que teriam o tamanho de dados desapareceram de uma valeta onde haviam sido fotografadas pelo aparelho da Nasa nesta semana, disse a agência espacial em um comunicado divulgado na noite de quinta-feira.

Isso convenceu os cientistas de que se tratava de gelo --água congelada-- que virou vapor após a atividade de escavação ter exposto o material, afirmou a Nasa.

'Deve ser gelo,' disse o principal cientista da missão, Peter Smith, da Universidade do Arizona. 'Esses pequenos torrões desapareceram completamente no período de alguns dias.

Isso é uma prova perfeita de que se trata de gelo. Houve algumas especulações sobre a possibilidade de o material brilhante ser sal. O sal não consegue fazer isso.'

A presença de água em Marte é um assunto intrigante dentro da comunidade científica. Nos últimos anos, pesquisadores apresentaram indícios convincentes sobre a existência de grandes depósitos de água congelada nos pólos de Marte e interpretam alguns dos aspectos geológicos do planeta como um sinal de que grandes massas de água flutuaram na superfície dele em um passado distante.

A água é um elemento fundamental para saber se já houve vida, ainda que na forma de meros micróbios, em Marte. Na Terra, a água é um elemento indispensável para a vida.

Os pedacinhos de material foram deixados no fundo de uma vala chamada de 'Dodo-Goldilocks' quando o braço-robô do Phoenix alargou aquela vala, no dia 15 de junho. Várias porções do material tinham desaparecido quando o Phoenix inspecionou novamente a vala, na quinta-feira, disse a Nasa.

A agência espacial norte-americana também afirmou que a sonda, ao cavar em uma outra trincheira, usou seu braço-robô para entrar em contato com uma superfície rígida que os cientistas suspeitam ser gelo.

A sonda de 420 milhões de dólares passou dez meses viajando da Terra até Marte.

(Reportagem de Will Dunham)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG