Somália pedirá que Conselho de Segurança envie uma força de pacificação

Nações Unidas, 15 abr (EFE).- O ministro de Exteriores da Somália, Ali Ahmed Jama, disse hoje que solicitará o envio de uma força de pacificação da ONU a seu país, durante a reunião de alto nível de amanhã entre os membros do Conselho de Segurança e da União Africana (UA).

EFE |

Jama disse hoje, em entrevista coletiva, que o principal órgão das Nações Unidas deve "assumir sua responsabilidade de garantir a paz e a segurança", substituindo as atuais forças da UA na Somália por um contingente sob a responsabilidade da ONU.

O ministro lembrou que conflitos como o somali têm repercussões além de suas fronteiras em um mundo globalizado, e citou como exemplo o uso de táticas em seu país importadas do Iraque.

"Vivemos em um mundo globalizado, e onde houver ameaças à segurança, é preciso combater de maneira coordenada", disse.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e vários membros do Conselho de Segurança se mostraram, até o momento, reticentes ao envio de uma força multinacional à Somália, porque consideram que não há uma paz a manter.

Ban mencionou em seu último relatório sobre a Somália a possibilidade de organizar uma "coalizão de voluntários" dispostos a enviar tropas, o que facilitaria a retirada das forças que a Etiópia mantém no país vizinho, em apoio ao Governo de transição na luta contra milícias islâmicas. EFE jju/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG