Somália: Grupo rebelde promete lutar contra novo presidente

Cairo, 25 fev (EFE).- O movimento Al Shabab, que se tornou nas últimas semanas o grupo rebelde mais poderoso e violento da Somália, prometeu hoje combater até o final o novo presidente do país, Sharif Sheik Ahmed.

EFE |

"Sheik Ahmed é pior que (o anterior presidente) Abdullahi Yusuf Ahmed", disse à emissora catariana "Al Jazira" Mukhtar Robow, porta-voz militar do Shabab, grupo responsável pela morte de 11 soldados burundienses da missão internacional de paz no país.

Rowbow, mais conhecido como "Abu Mansoor", afirmou que seu grupo percebe "as forças de paz da Missão da União Africana (Amisom) como inimigos de Deus", o que o fez acrescentar que serão "alvo dos ataques" que os rebeldes realizarem.

A entrevista foi realizada em Baidoa, no centro da Somália, de onde o movimento Al Shabab realiza sua campanha para derrubar o novo Governo somali.

O presidente da Somália, o fundamentalista islâmico moderado Sharif Sheik Ahmed, líder da Aliança para a Nova Fundação da Somália, foi eleito pela maioria do Parlamento somali no dia 31 de janeiro em Djibuti, após a renúncia no dia 29 de dezembro de Abdullahi Yusuf Ahmed.

Na entrevista, ele também explicou que seu grupo está lutando contra o novo presidente por seu fracasso na implantação da sharia (lei islâmica).

"Achamos que o fato de não impor a sharia é um gesto de infidelidade, e este Governo tem que ser combatido até que seja capaz de se estabelecer a lei de Deus", declarou. EFE nq/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG