A tripulação do barco americano que foi capturado por piratas somalis nesta quarta-feira negociam a volta de seu capitão, feito refém em um bote salva-vidas, informou o encarregado à rede CNN, acrescentando que um navio de guerra aliado está a três horas do local.

"Agora mesmo eles querem ficar com nosso capitão para pedir um resgate, e tentamos recuperá-lo", disse o tripulante Ken Quinn à rede de televisão CNN do barco "Maersk Alabama", de bandeira americana, em um telefone celular.

"Temos um (navio) da coalizão que estará aqui em três horas", acrescentou.

A tripulação do barco atacado em frente à costa da Somália retomou o controle da embarcação, mas a situação "continua", afirmaram funcionários do departamento de Defesa americano, que pediram o anonimato.

"Há um pirata a bordo que foi dominado pela tripulação", indicou um funcionário, que não quis dar mais detalhes sobre os ocupantes do barco ou sobre o que aconteceu com os outros três piratas que participaram da ação.

Mais cedo, a imprensa havia informado que a tripulação havia retomado o controle do barco, citando funcionários do Pentágono.

ddl/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.