Somali que atacou chargista é acusado de terrorismo na Dinamarca

Copenhague, 11 jan (EFE).- As autoridades dinamarquesas acusaram formalmente de atividade terrorista o somali que no último dia 1º tentou assassinar o chargista dinamarquês Kurt Westergaard, autor de uma famosa caricatura do profeta Maomé.

EFE |

A decisão diz respeito aos supostos vínculos do detido com a rede terrorista Al Qaeda e a uma decisão anterior do Tribunal Supremo da Dinamarca, que estabelece que uma tentativa de assassinato de Westergaard deve ser entendida como atentado terrorista em sentido jurídico, explicou hoje uma fonte da Polícia dinamarquesa.

Os serviços secretos dinamarqueses (PET) já tinham informado no dia seguinte da detenção sobre suas suspeitas sobre o agressor, relacionado à rede terrorista Al Qaeda e à milícia somali islâmica Al-Shabaab.

A aplicação da lei antiterrorista, que chega a estabelecer a prisão perpétua, segundo a gravidade dos fatos, aumentaria de forma considerável a pena em uma hipotética condenação.

O juiz tinha decretado inicialmente prisão preventiva em regime de isolamento até o dia 27, sob a suspeita de dupla tentativa de assassinato de Westergaard e de um dos policiais que participou da detenção.

Além dessas acusações e da de terrorismo, o somali, que se declarou inocente em seu comparecimento perante o juiz, foi acusado de agredir outro agente e de violar a lei sobre porte de armas. EFE alc-rz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG