Solto primo de Uribe acusado de ligação com paramilitares

Bogotá, 19 ago (EFE).- Por falta de provas, o Ministério Público da Colômbia mandou hoje soltar o ex-senador e ex-presidente do Congresso Mario Uribe Escobar, primo do presidente do país, Álvaro Uribe, e que estava preso desde abril por suposta ligação com paramilitares de direita.

EFE |

Em declarações aos jornalistas, o vice-promotor-chefe Guillermo Mendoza Diago disse já foi pedida a libertação de Uribe Escobar, uma vez que foram consideradas inválidas as denúncias de um ex-paramilitar asilado no Canadá, que acusava o ex-congressista de ter relações com a Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC).

Por conta das acusações, o ex-senador foi detido em 22 de abril, após uma mal-sucedida tentativa de pedir asilo político na Costa Rica.

Segundo Mendoza Diago, o primo de Uribe foi solto em resposta a um pedido de seu advogado, José do Carmen Ortega, que argumentou que não havia provas suficientes para que seu cliente permanecesse detido.

No entanto, o promotor destavou que o caso continua aberto.

"Não é uma absolvição nem se trata de uma decisão definitiva", disse Mendoza Diago, segundo quem o ex-senador continua impedido de deixar o país e está obrigado a se apresentar à Promotoria quando solicitado.

Uribe Escobar, líder do movimento Colômbia Democrática, que apóia o atual presidente colombiano, renunciou ao cargo de senador em outubro de 2007, depois que um ex-membro das AUC, Jairo Castillo Peralta, conhecido como "Pitirri", o acusou de ter assistido a reuniões com chefes dessa organização. EFE gta/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG