Soldados morroquinos acusados de afogar 30 imigrantes clandestinos

Imigrantes clandestinos acusam soldados marroquinos de afundarem deliberadamente, no final de abril, a embarcação na qual tentavam chegar do Marrocos à Espanha, o que provocou o afogamento de 30 pessoas, de acordo com a edição desta quarta-feira do jornal El País.

AFP |

Segundo o jornal, que se baseia no testemunho de "pelo menos cinco sobreviventes", entre 29 e 33 imigrantes, incluindo crianças, morreram afogados no dia 28 de abril na região de Alhucemas, ao noroeste do Marrocos, quando os soldados furaram a facadas o bote que os transportava.

Uma fonte das forças de segurança marroquinas confirmou na segunda-feira a morte de apenas 10 imigrantes, mas uma ONG marroquina, baseada nos testemunhos, denunciou a morte de "36 imigrantes afogados".

Um enviado especial do 'El País' afirmou que os sobreviventes foram levados para a fronteira entre a Argélia e o Marrocos para tentar "silenciar" esta "tragédia".

ot/cl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG