Soldados iraquianos lançam ampla operação após ataque em Kirkuk

Unidades do Exército iraquiano, com o apoio da aviação americana, lançaram na noite desta quarta-feira uma vasta operação ao sul da cidade de Kirkuk, no norte do Iraque, horas após um ataque que matou dez policiais e feriu outros 20 na mesma zona.

AFP |

O general Abdelamir Al Zaidi, comandante da 12ª Brigada, unidade de elite do Exército iraquiano, revelou que suas tropas mataram dois altos dirigentes do Ansar Al Sunna e feriram outros dois, a 55 km ao sul de Kirkuk.

"Na primeira operação, a aviação americana matou um terrorista e feriu outro, enquanto (em terra) matamos um terrorista e ferimos um segundo", disse à AFP o general Al Zaidi.

Os dois feridos foram detidos e "nos confirmaram que os dois mortos eram altos dirigentes do Ansar Al Sunna", o grupo extremista aliado à rede terrorista Al-Qaeda no Iraque.

A operação foi deflagrada após um ataque com carro-bomba contra policiais encarregados da proteção da infraestrutura petroleira que viajavam em um ônibus. Segundo o tenente-coronel Ghazi Mohammed Rashid, da polícia de Kirkuk, todas as vítimas trabalhavam na proteção das instalações da North Oil Company, a estatal iraquiana de petróleo do norte do Iraque, e voltavam de ônibus para casa.

A explosão foi tão violenta que reduziu o ônibus a um monte de metal retorcido.

De acordo com o general Torhane Yussef, vice-comandante regional da polícia, o ataque teve "todas as características dos golpes da Al-Qaeda".

Yussef calcula que o carro-bomba, um Opel, carregava entre 250 e 300 quilos de dinamite.

A província de Kirkuk, situada 255 km ao norte de Bagdá, é rica em petróleo e está integrada por várias comunidades que disputam o poder.

Em 11 de dezembro, 55 pessoas morreram e 95 ficaram feridas em um atentado suicida em um restaurante perto de Kirkuk.

kat/fp/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG