Soldados dinamarqueses dialogaram com talibãs no Afeganistão

Militares dinamarqueses enviados ao Afeganistão participaram regularmente em várias reuniões com talibãs e simpatizantes, indicou um oficial dinamarquês na edição desta segunda=feira do jornal Jyllands-Posten.

AFP |

"Mantivemos várias reuniões com chefes locais, onde os talibãs estavam representados", reconheceu o tenente coronel Bjarne Hoejgaard, ao retornar de uma missão de seis meses no país asiático.

"Não podemos prescindir disso. Temos de intensificar o diálogo e as negociações com os talibãs se quisermos paz no Afeganistão, porque não podemos eliminar o inimigo", declarou.

O oficial dinamarquês destacou que as reuniões não eram de paz. O objetivo era garantir uma maior segurança para os soldados que querem falar com os talibãs moderados.

Segundo o oficial, a maioria dos talibãs que participaram nas reuniões era formada por locais e não por combatentes estrangeiros procedentes do Paquistão. Ele afirmou, entretanto, que um ou dois combatentes estrangeiros estiveram presentes.

Hoejgaard destacou que "quanto mais talibãs locais matarmos, mais inimigos criaremos".

A Dinamarca, cujas forças estão presentes no Afeganistão há mais de sete anos, tem atualmente 700 soldados nesse país, a maioria deles na região de Helmand (sul), como parte da força sob comando da Otan.

sa/lm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG