Soldados da Otan são mortos a tiros no Afeganistão

Ataque a dois militares americanos é parte da recente retaliação contra queima do Alcorão por soldados americanos em base militar

iG São Paulo |

Dois soldados dos Estados Unidos das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão foram mortos a tiros nesta quinta-feira. A ação é a mais recente retaliação na série de ataques depois da queima de cópias do Alcorão (livro sagrado dos muçulmanos) por soldados americanos.

De acordo com fontes da Otan, um homem vestido com uniforme miltar afegão e outro vestido como civil abriram fogo contra os soldados em Candahar, província no sul do país. Horas antes do ataque desta quinta-feira, o mais alto general da Otan no Afeganistão, John Allen, disse que a recente onda de violência era um “revés”, mas que poderia ser superada.

Reuters
Manifestantes afegãos gritam slogans antiamericanos em Cabul durante protesto pela queima do Alcorão em base dos EUA (24/2)
O autor dos disparos, segundo oficiais, seria um professor na base militar de Candahar. Outro dos atiradores, segundo a Otan, seria um soldado afegão. Se confirmada a identidade do militar, será a terceira vez em uma semana que um integrante das forças de segurança afegãs mata um membro das tropas da aliança ocidental .

As informações sobre o ocorrido ainda não estão totalmente claras. Segundo um porta-voz do Exército afegão, inicialmente dois homens abriram fogo contra uma torre de segurança em uma base militar no distrito de Zheray, antes de escalá-la e atirar contra soldados da Otan. Ele disse que ambos os atiradores foram mortos.

Geopolítica: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Oficiais militares no distrito de Zheray, no entanto, contestaram tais informações e disseram que o ataque foi feito por apenas um homem, que aparentemente vivia na base militar que dava aulas de alfabetização para soldados afegãos.

Segundo o governador do distrito local, o homem tomou a arma de um soldado afegão e começou a atirar. Os dois afegãos, de acordo com ele, acabaram mortos pela Otan. Não está claro, no entanto, como um professor conseguiu permanecer na base e ter acesso a uma arma.

Retaliação

Com os dois soldados, chega a seis o número de militares americanos mortos desde o início dos protestos na última semana contra a queima do Alcorão em uma base aérea no Afeganistão. No total, 30 pessoas morreram desde o início das manifestações.

O conflito começou depois da queima inadvertida de cópias do Alcorão e outros materiais islâmicos religiosos durante o descarte de lixo na base americana de Bragam, perto da capital Cabul.

O ocorrido levou o presidente americano, Barack Obama, a pedir desculpas . Em carta enviada ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, Obama lamentou o incidente e prometeu uma investigação. “Quero estender a você e ao povo afegãos minhas mais sinceras desculpas”, afirmou. “O erro foi impensado. Garanto que vou tomar as medidas necessárias para evitar que ele aconteça novamente e para punir os responsáveis.”

*Com BBC

    Leia tudo sobre: afeganistãoalcorãosoldadosotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG