A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) admitiu nesta sexta-feira encontrar bolsões de resistência taleban no núcleo urbano de Marjah, epicentro da ofensiva militar lançada no último dia 13 na Província de Helmand, sul do Afeganistão.

Em seu comunicado diário sobre a operação "Moshtarak" ("juntos", na língua dari), que fala dos combates de quinta-feira, a Otan disse encontrar mais resistência em Marjah do que em Nad Ali, distrito próximo também incluído na ofensiva.

"Consideramos a situação geral no centro de Helmand como positiva", resumiu a Otan.


Soldados afegãos prendem suspeito durante operação no sul do país / AP

A organização militar explicou que em Nad Ali e no deserto de Bolan as tropas britânicas e afegãs estão realizando "operações de limpeza" de insurgentes.

Mas, em Marjah, que tem quase 80 mil habitantes, militares americanos e afegãos encontram "decididos bolsões de resistência" taleban nos flancos norte e leste, segundo a Otan.

As bombas que os fundamentalistas colocam nas estradas continuam sendo "a maior ameaça" para as forças da Otan, diz a própria organização. Até agora, as tropas dedicaram a maior parte de seus esforços a "limpar" a região de bombas e minas.

A Otan disse ter realizado várias "shuras" (assembleias) com os aldeões para que expressem suas preocupações e pontos de vista sobre a operação "Moshtarak".

A entidade também informou sobre a morte de seis de seus soldados na quinta-feira. Três deles morreram na explosão de bombas colocadas em estradas e outros três foram baleados. O total de militares estrangeiros mortos durante a ofensiva já chega a 11.

Segundo dados das autoridades afegãs anunciados há dois dias, 40 fundamentalistas, 15 civis e um soldado afegão também morreram desde sábado em Helmand.

Leia mais sobre Otan

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.