Soldados brasileiros controlam princípio de tumulto em hospital de campanha

PORTO PRÍNCIPE - No primeiro dia de funcionamento do hospital de campanha do Exército brasileiro nesta segunda-feira em Porto Príncipe, Haiti, houve um princípio de confusão, com muitos haitianos tendo ido ao local para pedir alimentos e trabalho.

Vicente Seda, enviado especial a Porto Príncipe |

Como alguns ameaçaram forçar sua entrada no local, os soldados brasileiros, com ajuda de um tradutor de creole, ameaçaram jogar gás de pimenta para que as pessoas na fila se acalmassem.

Vicente Seda
Haitiano discute com soldados brasileiros em frente de hospital de campanha

Haitiano discute com soldados em frente de hospital de campanha

Cerca de 100 pessoas estão no local, entre acompanhantes de pacientes do hospital, gente que quer trabalho e outras, água. Os soldados de guarda tiveram trabalho para não deixar a situação sair de controle. Até o momento, apesar de alguns mais exaltados, não houve confusão.

A preocupação maior é com os visitantes de pacientes, que estão na fila, enquanto outros tentam se aproximar do portão de entrada da base militar. 

Vicente Seda
Hospital de campanha brasileiro já está funcionando

Hospital de campanha brasileiro já está funcionando

O hospital começou a funcionar nesta segunda-feira para atender as vítimas do terremoto que atingiu o país em 12 de janeiro.

Após atraso de pouco mais de um dia por causa da dificuldade de pouso no aeroporto de Porto Príncipe, controlado pelos americanos, a instalação começou a funcionar na madrugada de segunda-feira, quando uma cirurgia de emergência foi feita no local.

A instalação tem capacidade para atender cerca de 400 pessoas por dia. Na enfermaria dentro da base, mais uma grávida foi atendida na manhã desta segunda-feira pela tenente Daniela Gil. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), ao longo do dia foram realizados 196 atendimentos, 80% deles em decorrência de ferimentos do terremoto, incluindo cirurgias.

Vicente Seda
Hospital tem capacidade de atender até 400 pessoas por dia

Hospital tem capacidade para atender até 400 pessoas por dia

Vicente Seda
O hospital fica na base militar brasileira

O hospital fica na base militar brasileira


Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremoto no haititragédia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG