Soldados americanos no Kuwait contraíram o vírus H1N1

KUWAIT (Reuters) - Dezoito soldados americanos no Kuwait foram contagiados pelo vírus H1N1, os primeiros casos na região exportadora de petróleo do Golfo Pérsico, disse uma autoridade do governo neste domingo. Não há casos confirmados no Iraque. Foi confirmada a contaminação dos soldados assim que chegaram de seu país à base militar do Kuwait, disse Ibrahim al-Abdulhadi à Reuters.

Reuters |

O Kuwait é a base logística para as tropas americanas no vizinho Iraque, onde os militares americanos disseram não haver casos conhecidos do vírus H1N1. Mais detalhes dos casos no Kuwait devem ser divulgados neste domingo em uma coletiva de imprensa.

"Estamos cientes de que casos de gripe do vírus H1N1 foram confirmados a princípio entre militares americanos no exterior, incluindo soldados que transitam por bases dos EUA no Kuwait", disse a embaixada americana em declaração à KUNA, agência de notícias estatal do Kuwait.

"Eles não tiveram nenhum contato com a população local."

O major Jose A. Lopez, um porta-voz militar americano em Bagdá, disse que, embora "não haja casos documentados de H1N1 entre funcionários americanos sediados no Iraque", todos os funcionários em trânsito estão sendo examinados.

"Estamos preparados para reagir de forma rápida e abrangente a possíveis surtos", disse ele.

Os Emirados Árabes Unidos disseram na quinta-feira ter isolado um passageiro aéreo oriundo do Canadá sob a suspeita de ser portador da gripe suína.

A gripe já matou 86 pessoas e infectou mais de onze mil em 42 países, segundo as autoridades de saúde.

O governo espanhol também aumentou para 18 o número de soldados contagiados com a gripe em uma academia militar de Madri. Outros 81 soldados podem ter contraído a doença.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG