Soldados americanos abrem fogo contra jornalista iraquiana

Soldados americanos abriram fogo contra uma jornalista iraquiana na sexta-feira, ferindo-a gravemente, depois que ela se negou a colaborar com um posto de controle em Bagdá, informaram neste sábado o exército americano e a rede de televisão para a qual ela trabalhava.

AFP |

Segundo a rede Beladi, a vítima se chama Hadil Imad, tem problemas de audição, e está internada "em estado crítico em uma unidade de tratamento intensivo".

O incidente ocorreu no bairro de Karrada, no centro de Bagdá, indicou o exército em um comunicado.

"Durante operações conjuntas com as forças iraquianas de segurança perto de um posto de controle, soldados da força multinacional abriram fogo e feriram uma mulher iraquiana, que agia de forma suspeita", explica a nota.

"As tropas americanas atiraram para cima, mas ela não os ouviu porque tem problemas de audição", disse por sua vez Mohsen al-Darraji, porta-voz da rede de televisão iraquiana Beladi, onde a jornalista trabalha.

Segundo os militares americanos, a iraquiana "não respondeu aos repetidos avisos, e os soldados dispararam duas vezes contra a mulher". O exército explica ainda que a área onde aconteceu o episódio foi recentemente alvo de "atentados com carro-bomba cometidos pela Al-Qaeda".

O canal Beladi, propriedade do ex-primeiro-ministro iraquiano Ibrahim Jafari, condena em um comunicado "este crime brutal", pelo qual responsabiliza as forças americanas.

ak-fpn/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG