Soldado vítima do terremoto buscava nova experiência no Haiti

SÃO PAULO ¿ Já estava tudo preparado para o próximo sábado. ¿Nós íamos fazer uma festa surpresa para ele, quando ele chegasse¿, conta Carla de Castro Carvalho, prima do 2º sargento Leonardo de Castro Carvalho, que morreu no Haiti durante o terremoto que atingiu a capital Porto Príncipe, na última terça-feira.

Carolina Rocha, iG São Paulo |

  • Veja fotos da destruição após terremoto no Haiti
  • Após a tragédia, solidariedade reúne diversos países
  • Fotos aéreas dão dimensão dos estragos no Haiti
  • Haiti vive cenas de destruição e desespero; assista
  • Veja as principais notícias sobre o terremoto no Haiti

    O militar, assim como a maioria dos oficiais mortos durante a catástrofe, voltaria para o Brasil no dia 16, após passar seis meses no país. Ele estava no último dia de patrulha, no dia do terremoto. A gente não sabe nem como aconteceu (a morte), onde ele estava, lamenta Carla.

    Missão no Haiti

    Carvalho vivia em São João Del Rei, Minas Gerais, mas servia no 5º Batalhão de Infantaria Leve, de Lorena, no interior de São Paulo. Foi para o Haiti para aprender coisas que não aprenderia no Exército, aqui no Brasil, relata Carla. Ele dizia que se ele não fosse para lá, nunca iria passar por esse tipo de experiência, que a situação deles era de muita pobreza e que sua missão era ajudar, lembra.

    O oficial sempre teve o sonho de ser do Exército. Mesmo tendo sido dispensado do serviço militar obrigatório, Carvalho não desistiu da carreira. Ele estudou e, depois, quando foi para entrar na ESA (Escola de Sargentos das Armas), ele se recolheu para estudar tanto que a gente nem via ele na rua, conta Carla.

    De acordo com a prima, Carvalho era uma pessoa quieta, reservada, bem do tipo militar. Com os amigos, ele era brincalhão, gostava de sair no Carnaval, adorava esporte, ganhou alguns troféus disputando MotoCross, mas em casa ele era mais caladão, recorda.

    Notícias

    Segundo a prima, na quarta-feira, um oficial do Exército foi à casa da mãe de Carvalho para informar sobre o falecimento e, desde então, eles têm ido à unidade do Exército em São João Del Rei para saber mais informações, mas sem muito sucesso. Queremos fazer uma homenagem para ele, mas não sabemos quando eles vão chegar aqui no Brasil, diz Carla.

    Veja abaixo os nomes dos 14 militares mortos:

    Leia também:

    Leia mais sobre terremoto

    • Leia tudo sobre: haitisoldadosterremototerremoto no haiti

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG