BAGDÁ (Reuters) - Um soldado norte-americano abriu fogo contra seus colegas em uma das principais bases dos Estados Unidos em Bagdá nesta segunda-feira, matando cinco pessoas, disse o Exército dos EUA. O atirador é um soldado dos EUA e está sob custódia, disse o porta-voz do Exército norte-americano no Iraque, tenente Tom Garnett.

Autoridades dos EUA planejam acusar formalmente o atirador ainda nesta segunda-feira.

O presidente dos EUA, Barack Obama, ficou chocado com a notícia e deseja uma investigação completa sobre o incidente, disse a Casa Branca.

"Claro que ele ficou triste em ouvir a notícia esta manhã", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, durante coletiva de imprensa. "Ele ficou chocado com a notícia deste incidente e irá pressionar para que se saiba completamente o que aconteceu".

O tiroteio ocorreu às 14h horário local (8h horário de Brasília) em uma grande base localizada perto do aeroporto de Bagdá.

"Este é com certeza um fato inesperado e trágico", disse o porta-voz do Pentágono, Bryan Whitman.

"Toda vez que perdemos algum de nós, todos nós somos afetados", disse um porta-voz dos EUA em Bagdá, coronel John Robinson.

O número de soldados norte-americanos mortos no incidente é igual ao número de mortos em um ataque com um caminhão-bomba no norte do Iraque no mês passado, o incidente mais letal para tropas dos EUA em mais de um ano.

(Reportagem de Ryan Missy, com reportagem adicional de David Morgan em Washington)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.