Soldado dos EUA capturado por talibãs critica missão no Afeganistão

Cabul, 25 dez (EFE).- Os talibãs do Afeganistão divulgaram hoje um vídeo no qual um soldado dos Estados Unidos capturado pelos rebeldes há poucos meses faz críticas à invasão americana e assegura que a guerra no país asiático será o próximo Vietnã.

EFE |

Em uma gravação enviada à imprensa pelo porta-voz dos talibãs afegãos, Zabiullah Mujahid, o soldado, que aparece de uniforme militar, enumera uma série de conflitos bélicos nos quais as tropas americanas intervieram, entre eles a Segunda Guerra Mundial, a Guerra do Vietnã e a invasão ao Iraque.

"Agora, é apenas o Afeganistão, a próxima guerra para que nós caiamos nela", disse o soldado, que no começo do vídeo se identifica como Bowe Bergdahl e dá detalhes de sua vida, como data e lugar de nascimento.

Bergdahl acrescenta que o Afeganistão virará "o próximo Vietnã, a menos que o povo americano se levante".

Durante a gravação, o soldado diz que chegou ao Afeganistão em maio deste ano e foi enviado à província de Paktika (leste).

Bergdahl, que diz ter virado "prisioneiro de guerra dos talibãs", acrescenta que foi tratado "como um ser humano" e que em nenhum momento tiraram a roupa dele ou o fizeram ficar pelado.

Enquanto o soldado relata as condições de seu cativeiro, são exibidas na parte esquerda do vídeo imagens das torturas impostas por soldados americanos a prisioneiros da cadeia iraquiana de Abu Ghraib.

O militar chega a dizer que os EUA não estão combatendo um "pequeno grupo terrorista desorganizado" no Afeganistão, mas um "Exército organizado".

O comando da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), comandada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), classificou como um "ato horrível" a difusão do vídeo e assegurou que o militar americano foi forçado a ler um texto. EFE lo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG