Soldado britânico vai a corte marcial por não querer voltar ao Afeganistão

O soldado de primeira classe britânico Joe Glenton, que se nega a voltar ao Afeganistão por achar que não há condições de se vencer essa guerra, compareceu pela primeira vez nesta segunda-feira ante a corte marcial que o julgará por deserção.

AFP |

O soldado do regimento Royal Logistic Corp compareceu à audiência preliminar realizada no Acampamento de Bulford, condado de Wiltshire (sudoeste da Inglaterra), sem fazer comentários.

Seu advogado, Hugh O'Donoghue, assinalou que o soldado negará a acusação de deserção, que pode lhe custar até dois anos de prisão.

Glenton, de 27 anos e agora membro da coalizão pacifista 'Stop the War', esceveu na semana passada ao primeiro-ministro Gordon Brown para explicar sua posição pedir que faça as tropas britânicas voltarem para casa.

"A guerra no Afeganistão não reduz o risco do terrorismo e, ao invés de melhorar a vida dos afegãos, semeia morte e devastação no país. A Grã-Bretanha não tem nada a fazer lá", afirma em sua carta.

Glenton se alistou em 2004 e foi enviado ao Afeganistão, mas, ao voltar para casa em 2007, resolveu desertar e só se entregou às autoridades dois anos mais tarde.

ra/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG