SÃO PAULO ¿ Após quase três dias de angústias, sem saber o paradeiro e o estado de saúde de seu irmão, Jéssica Novaes pôde respirar aliviada nesta sexta-feira. Ela recebeu uma ligação de sua tia, no meio do expediente, dizendo que seu irmão, o soldado Tiago Novaes, que está neste momento em Porto Príncipe, está bem e deve voltar para o Brasil no dia 24 de janeiro.

Jéssica passou estes dias em busca de informações sobre Tiago. Deixou recados no Orkut dos amigos do soldado, procurava notícias na internet, foi diversas vezes ao 2º Batalhão de Infantaria Leve de São Vicente, onde seu irmão é lotado, mas não conseguiu saber nada sobre ele. Eu estou desesperada, não sabem de nada, não orientam as famílias, reclamou ela no primeiro contato com a reportagem do iG , na noite de quinta-feira.

Mas, nesta sexta, Jéssica veio feliz contar por MSN que ele havia ligado. Ele estava fazendo patrulha no momento do terremoto, mas não disse onde, conta. Segundo ela, as imagens que Novaes viu na terça-feira pareciam cenas de filme, mas eram verdade. Muita gente morta, muita gente passando mal.

Novaes está no Haiti há seis meses e deveria voltar no próximo sábado, juntamente com seus amigos Ari Dirceu Fernandes Junior e Kleber da Silva Santos, ambos mortos durante a catástrofe. Conheci o Silva e o Dirceu, eles já vieram à minha casa. Fiquei muito triste com a morte deles, lamenta Jéssica.

Missa

Na manhã desta sexta-feira, foi organizado no 2º Batalhão de São Vicente uma missa em homenagem aos dois soldados da unidade mortos no Haiti. Participaram cerca de 200 pessoas, entre soldados e familiares. Entre eles, representantes das famílias dos soldados mortos no Haiti.

Soldados durante a missa celebrada nesta manhã no 2º Bil

Veja abaixo os nomes dos 14 militares mortos:

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.