Linda Norgrove, de 36 anos, morreu durante operação de resgate

AFP
Linda Norgrove havia sido sequestrada em 26 de setembro, juntamente com três afegãos, no leste do país
Um soldado americano, sob a suspeita de ter matado de forma acidental uma voluntária britânica que era mantida como refém por insurgentes durante a operação de resgate, pode ser objeto de medidas disciplinares, informa o jornal The Guardian.

Segundo a publicação britânica, que cita fontes em Cabul e Londres, o soldado das forças especiais lançou uma granada que pode ter sido a responsável pela morte de Linda Norgrove, de 36 anos, no dia 8 de outubro durante uma operação militar americana que pretendia libertar a refém.

O soldado demorou a informar aos superiores que havia lançado o explosivo, destaca o Guardian.

Durante a operação contra o esconderijo dos sequestradores, a britânica se afastou dos captores e se abaixou para evitar ser atingida, mas o soldado não viu a voluntária e lançou, perto do local onde Linda estava, uma granada que explodiu ao lado da refém, informa o jornal.

Em um primeiro momento, os comandantes militares informaram que a refém havia sido assassinado por um membro do grupo islâmico Taleban, mas uma análise posterior da operação demonstrou que a morte poderia ter sido provocada por uma granada americana.

O comando militar americano abriu uma investigação sobre o caso . O primeiro-ministro britânico, David Cameron, deve abordar o assunto em uma reunião nesta quinta-feira com o comandante das forças americanas no Afeganistão, general David Petraeus.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.