Soldado americano pode ser punido por morte de refém britânica

Linda Norgrove, de 36 anos, morreu durante operação de resgate

AFP |

AFP
Linda Norgrove havia sido sequestrada em 26 de setembro, juntamente com três afegãos, no leste do país
Um soldado americano, sob a suspeita de ter matado de forma acidental uma voluntária britânica que era mantida como refém por insurgentes durante a operação de resgate, pode ser objeto de medidas disciplinares, informa o jornal The Guardian.

Segundo a publicação britânica, que cita fontes em Cabul e Londres, o soldado das forças especiais lançou uma granada que pode ter sido a responsável pela morte de Linda Norgrove, de 36 anos, no dia 8 de outubro durante uma operação militar americana que pretendia libertar a refém.

O soldado demorou a informar aos superiores que havia lançado o explosivo, destaca o Guardian.

Durante a operação contra o esconderijo dos sequestradores, a britânica se afastou dos captores e se abaixou para evitar ser atingida, mas o soldado não viu a voluntária e lançou, perto do local onde Linda estava, uma granada que explodiu ao lado da refém, informa o jornal.

Em um primeiro momento, os comandantes militares informaram que a refém havia sido assassinado por um membro do grupo islâmico Taleban, mas uma análise posterior da operação demonstrou que a morte poderia ter sido provocada por uma granada americana.

O comando militar americano abriu uma investigação sobre o caso . O primeiro-ministro britânico, David Cameron, deve abordar o assunto em uma reunião nesta quinta-feira com o comandante das forças americanas no Afeganistão, general David Petraeus.

    Leia tudo sobre: refém britânicaresgateAfeganistãoTaleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG