O chefe da diplomacia da União Européia (UE) Javier Solana considerou compreensível a retirada de Morgan Tsvangirai, líder da oposição do Zimbábue, do segundo turno das eleições presidenciais.

A desistência "é compreensível, levando em conta a inaceitável campanha sistemática de violência, a obstrução e a intimidação praticada pelas autoridades do Zimbábue nas últimas semanas", afirmou Solana em comunicado.

"As eleições se transformaram em paródia da democracia, indigna da África de hoje", acrescentou.

Morgan Tsvangirai, vencedor do primeiro turno da eleição presidencial, se retirou neste domingo do segundo turno considerando que a onda de violência que assola o país impede a realização de eleições justas.

cat/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.