Bruxelas, 8 dez (EFE).- O alto representante para Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, disse hoje que chegou o momento de fazer pressão máxima para forçar a renúncia do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe.

Ao chegar à reunião de ministros de Exteriores da UE realizada hoje, em Bruxelas, Solana respondeu assim às perguntas sobre a situação no país africano, cuja crise piorou nas últimas semanas com o aumento de uma epidemia de cólera.

O ministro de Exteriores da França - país que este semestre preside a UE -, Bernard Kouchner, disse que existe "uma urgência sanitária" e que "é preciso uma intervenção internacional, não militar, mas uma intervenção".

Na mesma linha, o ministro de Exteriores luxemburguês, Jean Asselborn, considerou que "chegou o momento de dizer que a situação é insuportável".

O ministro de Exteriores finlandês, Alexander Stubb, não descartou que a UE acrescente novas sanções contra o regime de Mugabe, e disse que estas "sempre são uma possibilidade".

Nos últimos dias, vários países, como o Reino Unido e os Estados Unidos, chamaram aos países africanos a agir para forçar uma mudança de Governo no Zimbábue, diante da catástrofe humanitária no país.

EFE met-rcf-mvs/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.