Bruxelas, 22 jun (EFE).- O alto representante de Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, chamou hoje de inaceitável a campanha de violência e intimidação perpetrada pelas autoridades do Zimbábue durante as eleições presidenciais no país, que, segundo disse, viraram uma paródia de democracia.

Em um comunicado, Solana afirmou que a retirada da candidatura de Morgan Tsvangirai - principal adversário do presidente Robert Mugabe - no segundo turno das eleições é "compreensível", dada a atual situação.

"Nestas condições, estas eleições, certamente indignas da África de hoje em dia, se transformaram em uma paródia da democracia", afirmou p chefe da diplomacia européia.

Solana destacou, além disso, o trabalho de todas as instituições que, como a União Africana (UA) e a Comunidade para o Desenvolvimento da África Meridional (SADC), "tentaram levar a razão ao Zimbábue". EFE mvs/bm/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.