solução militar para conflito de Darfur - Mundo - iG" /

Solana afirma que não há solução militar para conflito de Darfur

Bruxelas, 26 ago (EFE).- O Alto Representante da União Européia (UE) para a Política Externa, Javier Solana, condenou o inaceitável ataque da Polícia sudanesa ao campo de refugiados de Kalma, que provocou a morte de 30 pessoas e ferimentos em mais de 40, e reiterou que não pode haver uma solução militar para o conflito de Darfur.

EFE |

Solana pediu ao Governo do Sudão, em comunicado divulgado hoje, que garanta o acesso aos serviços de emergências para que evacuem os feridos.

Além disso, solicitou às autoridades sudanesas que proporcionem todos os meios necessários para investigar este ataque "particularmente atroz" e levar seus responsáveis perante a Justiça.

Segundo sua opinião, somente o total desdobramento da missão conjunta das Nações Unidas e da União Africana na zona (Unamid) e um relançamento das negociações podem proporcionar uma "paz duradoura em Darfur".

As forças de segurança sudanesas dispararam ontem indiscriminadamente contra os refugiados, depois que estes últimos rejeitaram a entrada dos policiais no acampamento, que se encontra próximo a Niyala -capital do sul de Darfur- e acolhe cerca de 90 mil deslocados.

Um responsável do acampamento indicou que as forças governamentais chegaram ao local em mais de 100 veículos com o pretexto de confiscar armas.

O conflito de Darfur explodiu em janeiro de 2003, quando dois grupos rebeldes pegaram em armas contra o regime de Cartum, em protesto contra a situação na província.

Desde então, mais de 200 mil pessoas morreram e outros dois milhões e meio se viram obrigadas a abandonar seus lares, segundo cálculos da ONU. EFE rja/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG