Assunção, 10 jun (EFE).- Ángel Pompeyo Maidana Lugo, sobrinho do presidente eleito do Paraguai, o ex-bispo Fernando Lugo, abriu mão hoje do cargo público para o qual foi nomeado em meio a denúncias de nepotismo, informou a imprensa local.

A renúncia foi apresentada através de uma nota à Entidade Binacional Yacyretá (EBY), que administra a hidroelétrica argentina de mesmo nome.

Maidana Lugo argumentou que renuncia a seu emprego na empresa "em honra à paz, à tranqüilidade e para terminar com qualquer conflito que tenha surgido na Aliança Patriótica para a Mudança (APC)", a coalizão opositora de amplo poder político que levou Lugo à Presidência paraguaia.

O sobrinho do presidente eleito paraguaio acrescentou que seu parentesco com o futuro governante não lhe priva do direito de ter qualquer cargo público.

Maidana Lugo, de 37 anos, que há até pouco tempo era empregado de uma concessionária de automóveis na cidade de Encarnación, havia dito que se sentia apto para exercer a função para qual foi designado na área da represa, geralmente reservada para técnicos de meio ambiente.

Sua designação e a do advogado Carlos Alberto Franco, irmão do vice-presidente eleito, Federico Franco, no mesmo organismo e com um salário similar, motivou na semana passada fortes críticas da imprensa e dos próprios partidários do futuro líder. EFE lb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.