Trípoli, 1 abr (EFE).- Os 20 sobreviventes do naufrágio da embarcação com 257 emigrantes ilegais em frente ao litoral da Líbia conseguiram se salvar após ficarem agarrados por mais de oito horas aos destroços do navio, informou hoje à Agência Efe o chefe da Organização Internacional de Migrações (OIM) em Trípoli, Laurence Hart.

Membros da OIM visitaram na quarta-feira os sobreviventes do naufrágio nos dois centros de abrigo a cerca de 30 quilômetros da capital líbia, para onde foram transferidos.

Hart disse à Efe que os imigrantes se encontram "muito bem", mas beberam muita água salgada do mar, o que provocou complicações renais.

"A situação deles não é muito grave, mas, se não tiverem atendimento médico adequado, poderia se agravar", explicou, e disse que a OIM enviou uma equipe médica aos centros para oferecer os cuidados necessários aos imigrantes.

Segundo o relato dos sobreviventes, cerca de três horas após terem embarcado no litoral líbio, o velho navio pesqueiro de madeira no qual viajavam, com capacidade para um máximo de 50 pessoas, começou a ter infiltração de água.

Ao começar a entrar água, o pânico se espalhou entre os ocupantes, o que fez com que a embarcação sobrecarregada se desequilibrasse e afundasse. EFE fa-jg/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.