Sobem a 17 mortos em acidente em hidroelétrica na Rússia

Moscou, 20 ago (EFE).- As autoridades russas confirmaram hoje que 17 operários morreram no acidente ocorrido na segunda-feira na central hidroelétrica de Sayano-Shushenskaya, na Sibéria, e que continua a busca por outros 58 desaparecidos.

EFE |

Os últimos corpos foram encontrados pelas equipes de resgate debaixo de escombros das duas turbinas destruídas pela explosão, como noticia a imprensa local.

Embora a possibilidade de encontrar alguém com vida seja remota, o Ministério de Situações de Emergência informou que o número de pessoas que participam dos trabalhos de resgate será aumentado hoje para dois mil.

O ministro de Emergência, Serguei Shoigu, anunciou que ainda hoje começará o bombeamento dos 250 mil metros cúbicos de água que alagaram a sala de máquinas e turbinas no acidente, trabalho que se estenderá por 36 horas.

Segundo as equipes de salvamento, a maioria dos desaparecidos teria morrido afogado ou soterrado pelo teto e as paredes da sala de máquinas, onde grande parte dos trabalhadores estava.

O acidente foi descrito pelo ministro da Energia, Serguei Shmatkó, como "o maior e mais misterioso da história da energia hidrológica", e cifrou em mais de US$ 1 bilhão o dinheiro necessário para consertar a sala de máquinas.

Como causas do acidente as autoridades consideram a possibilidade de um aumento da pressão hidráulica nos encanamentos provocada por uma falha nas obras de reparo da central, inaugurada em 1978. EFE io/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG