Sobe para nove número de mortos em ataque na Colômbia

A explosão de um carro-bomba em Buenaventura, principal porto colombiano no Pacífico, deixou pelo menos nove mortos e 51 feridos na quarta-feira, em um atentado atribuído a guerrilhas relacionadas ao narcotráfico.

iG São Paulo |

Segundo o último boletim da polícia, três feridos morreram no hospital, elevando para nove o número de mortos em consequência do ataque. Entre os três mortos no hospital está um policial, que, apesar dos graves ferimentos, havia ajudado a retirar algumas vítimas do local.


Carro-bomba explodiu na cidade de Buenaventura / Foto: AP

O comandante das Forças Militares, general Freddy Padilla, inicialmente responsabilizou as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) pelo atentado, dizendo que "seguramente foram elas". No entanto, o procurador Diego Mendoza afirmou que "também pode ter relação com o narcotráfico". "Estamos avaliando", disse.

"Essa região tem muita influência do narcotráfico. Avaliando o local em que a bomba foi colocada, acreditamos que se trata de represálias contra a polícia ou contra a procuradoria, mas não podemos assegurar nada de concreto", completou.

O ministro da Defesa, Gabriel Silva, que viajou a Buenaventura para participar de um conselho de segurança, declarou, no entanto, que todas as hipóteses serão analisadas.

O carro-bomba - colocado na noite de terça-feira bem perto das sedes da prefeitura e da procuradoria - explodiu às 9h30 locais (11h30 de Brasília). A explosão afetou seriamente os prédios do governo municipal e abriu um buraco na rua, rompendo vidros dos edifícios próximos, residenciais e comerciais, comprovou um fotógrafo da AFP.

Há mais de um ano não aconteciam atentados desse tipo na Colômbia. O último havia sido lançado em 12 de fevereiro de 2009 na cidade de Convención - na fronteira com a Venezuela -, deixando dois mortos e 18 feridos.

O governador do Valle del Cauca, Juan Carlos Abadía, considerou o atentado como "um desvio", ao lembrar que nos últimos dois anos os índices de violência foram reduzidos.

AP
Táxis que estavam próximos ao local ficaram danificados

Táxis que estavam próximos ao local ficaram danificados

"As eleições (presidenciais) se aproximam (30 de maio), e pretendem desestabilizar, causar medo", disse Abadía, que não apontou nenhum grupo como responsável pelo ataque.

O representante na Colômbia do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Christian Salazar, qualificou a ação de "uma demonstração de terrorismo que condenamos, independentemente de quem o cometeu".

Na região do porto de Buenaventura, de 250 mil habitantes, localizado a 550 km a oeste de Bogotá, operam grupos guerrilheiros, de narcotráfico e de crimes comuns.

Na madrugada de segunda para terça-feira, seis caminhões e um furgão foram queimados por supostos guerrilheiros das Farc em uma estrada que liga Cali (capital da província) com Buenaventura, sem deixar vítimas.

*Com informações da AFP

Leia mais sobre Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG