Um homem de 28 anos, portador de leucemia, se converteu na segunda vítima fatal do vírus da gripe suína na Argentina.

O caso deste homem, que recebeu um transplante de médula óssea há dez anos, se soma ao da orte de um bebê de três meses nascido premanturamente e que morreu na segunda-feira, segundo o Ministério de Saúde.

A morte aconteceu no Hospital Posadas da capital argentina, onde a criança, com identidade não divulgada, permanecia hospitalizada desde o começo de junho, segundo as autoridades.

O total de infectados pelo vírus no país se elevou a 733.

Outras quatro pessoas contaminadas estão internadas em unidades de tratamento intensivo.

Em geral, são pessoas jovens, estando entre elas um menino.

Os enfermos são, em amioria, estudantes de primeiro e segundo graus, totalizando, atualmente, 48 escolas onde foram registrados casos positivos da gripe A H1N1 nos distritos de Buenos Aires, província de Buenos Aires e Santa Fé (centro-leste), Misiones (nordeste) e Tierra del Fuego (sul).

De acordo com balanço publicado nesta segunda-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que a considera a primeira pandemia do século XXI, o vírus A (H1N1) da gripe suína já contagiou 35.928 pessoas em 76 países, causando 163 mortos.

lt/dk/sd/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.