Sobe para 9 número de mortos em atentado com carro-bomba na Colômbia

Bogotá, 25 mar (EFE).- O número de mortos no atentado cometido na quarta-feira na cidade portuária colombiana de Buenaventura subiu para nove, enquanto o número de feridos agora é de 59, informaram hoje as autoridades.

EFE |

"O balanço mais recente que me acaba de confirmar a secretária de Saúde é de 59 pessoas feridos, nove mortos confirmados e danos materiais nos prédios próximos ao local", disse o secretário do Governo de Buenaventura, Henry Moreno.

Vários dos feridos já receberam alta dos hospitais, mas outros continuam internados dada a gravidade de suas lesões, acrescentou em declarações à imprensa local.

O atentado foi cometido com um carro-bomba carregado com 40 quilos de explosivos, deixado em frente à sede da Procuradoria e da Prefeitura de Buenaventura, uma cidade situada a 497 quilômetros de Bogotá e que, segundo Moreno, atravessava um período de "tranquilidade".

"Essa circunstância nos deixa totalmente consternados, mas não vamos nos dobrar e vamos seguir adiante", assegurou.

Hoje se realizará em Buenaventura um conselho de segurança presidido pelo ministro colombiano de Defesa, Gabriel Silva, confirmou à Agência Efe Víctor Manuel Salcedo, secretário de Governo do departamento de Valle del Cauca, ao qual pertence Buenaventura.

Salcedo disse por telefone que o objetivo da reunião é "tomar as medidas correspondentes e receber os relatórios de inteligência".

Além disso, ele lembrou que há uma recompensa de 300 milhões de pesos colombianos (US$ 158 mil) para quem der informações sobre os responsáveis do atentado, o pior dos últimos anos na Colômbia.

Salcedo estima que hoje ou amanhã o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, visite a região. Uribe pediu ontem à Polícia não "baixar a guarda contra o terrorismo".

Ao ser consultado sobre os autores do atentado, o líder não quis se pronunciar até não ter informações confirmadas do Ministério da Defesa e da Procuradoria.

Enquanto fontes militares acusaram uma milícia urbana das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) de ter articulado o atentado, a Procuradoria tem outras duas hipóteses que apontam para o grupo paramilitar "Los Rastrojos" e para as guerras entre narcotraficantes.

As primeiras investigações apontam que os 40 quilos de explosivo dentro do carro foram acionados durante a passagem de um veículo policial.

A Colômbia está em plena campanha para as eleições presidenciais de 30 de maio e à espera da anunciada libertação de dois militares reféns das Farc, que deve ocorrer neste fim de semana. EFE fer/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG