Sobe para 81 o número de mortes suspeitas de gripe suína no México

CIDADE DO MÉXICO - O ministro da Saúde do México, Ángel Córdova, informou neste sábado que subiu para 81 o número de mortes causadas pelo surto de gripe suína que atinge o país.

Redação com EFE |

Reuters
Usando máscara, homem toca violino na Cidade do México

Usando máscara, homem toca violino na Cidade do México

Entre essas mortes, apenas 20 foram confirmadas como tendo sido causadas pelo vírus. Porém, o governo acredita que as outras 61 pessoas também morreram infectadas pela gripe suína.

O ministro afirmou que 1.324 pacientes foram internados entre o dia 13 de abril - quando morreu a primeira pessoa vítima do surto viral - e a tarde deste sábado.

De acordo com Córdova, o maior número de casos foi registrado na capital, seguida do vizinho Estado do México e de San Luis Potosí, no centro-norte do país, onde foram reportados 62 prováveis casos de contágio.

Em 15 dos outros 32 Estados mexicanos não foram registradas suspeitas, enquanto nos outros 14 há menos de 30 casos de possível contágio. Por isso, o ministro considerou que o vírus "não está espalhado em todo o país".

Os Estados Unidos registraram onze casos de gripe suína, mas nenhuma vítima fatal. Córdova afirmou que uma possível explicação para a ausência de mortes nos EUA é o fato de a maioria dos infectados ser criança. Segundo ele, o principal grupo de risco são as pessoas em "idade produtiva", entre os 20 e 50 anos. Crianças têm um fator de imunidade, ainda desconhecido.

Neste sábado, especialistas americanos e da Organização Pan-americana da Saúde chegaram ao México para apoiar os trabalhos epidemiológicos.

Graças à aquisição de um equipamento especial, na próxima terça-feira será possível realizar o estudo virológico no país, já que até agora as autoridades tiveram que enviar os testes para laboratórios americanos.

Leia também:


Leia mais sobre:
gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG