Uma série de atentados com explosivos causou pelo menos 80 mortos nesta terça-feira em vários mercados da cidade indiana de Jaipur (noroeste) da Índia, informou o primeiro-ministro do Estado de Rajastão.

"Oitenta pessoas morreram e 150 ficaram feridas", declarou à imprensa o primeiro-ministro, Vasundhara Raje.

Segundo imagens de televisão, uma das bombas explodiu próxima a um templo hindu, deixando bicicletas e outros veículos destruídos.

"Não toleraremos ações semelhantes", afirmou Raje.

De acordo com a polícia, as explosões sucederam em intervalos de dois minutos em Jaipur, a 260 quilômetros de Nova Délhi.

"Trata-se de um ato terrorista. Não havia nenhum indício" que antecipasse o ocorrido, afirmou o diretor-geral da polícia, Amorjot Singh Gill.

O primeiro-ministro Manmohan Singh condenou o atentado e pediu calma.

Jaipur, uma cidade histórica de mais de dois milhões de habitantes, é um dos principais pontos turísticos da Índia, sendo chamada de "cidade rosa".

As fronteiras do estado foram fechadas e foi decretado estado de alerta no Rajastão e nas zonas vizinhas, informou a polícia, garantindo que nenhuma ação de represália foi posta em prática e pedindo calma.

"A cidade está em paz, ninguém deve preocupar-se", disse Arvind jain, um alto funcionário da polícia, à rede de televisão NDTV.

A Índia tem sido alvo de dezenas de atentados, dos quais são acusados grupos islâmicos do estado indiano da Cachemira.

Entre os mais recentes estão o que causou a morte de 43 pessoas em Hyderabad, o ato terrorista que matou outras seis em um cinema do estado de Punjab e atentados que vitimaram 13 pessoas em uma séria de explosões na porta dos tribunais de três cidades do norte.

str-pg/cl/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.