JACARTA - As autoridades indonésias elevaram nesta segunda-feira para sete o número de corpos recuperados de uma embarcação que naufragou na semana passada nas Ilhas Molucas, no sudeste do país. Ainda há 27 desaparecidos.

As equipes de emergência, que conseguiram resgatar apenas um sobrevivente, prosseguem com as tarefas de busca, apesar dos fortes ventos e das ondas de até cinco metros de altura que estão castigando a região.

"Pelo menos 27 permanecem desaparecidos e estamos realizando uma intensa busca com um avião da Marinha e navios pesqueiros", assegurou o chefe da autoridade portuária da cidade de Dobo, Billy Picarima.

O naufrágio, que ocorreu na quarta-feira, mas não foi comunicado à imprensa, aconteceu na província de Nusa Tenggara Oriental, onde o barco virou aparentemente por causa das fortes ondas quando se aproximava da ilha de Aru.

A embarcação transportava 35 pessoas, a maioria empregados de uma companhia pesqueira chinesa, e seu capitão tinha a proibição expressa de navegar por causa do mau tempo, mas zarpou de um píer abandonado sem informar à autoridade portuária, segundo a polícia.

Fatos como esses são frequentes no maior arquipélago do mundo, com mais 17.500 ilhas e onde cada ano centenas de pessoas morrem em naufrágios em alto-mar por causa do clima tropical, da infraestrutura precária, da falta de medidas de segurança e da sobrecarga de passageiros e mercadorias.

Leia mais sobre Indonésia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.