BANGCOC- Pelo menos 60 pessoas morreram e 200 ficaram feridas nesta quinta-feira em um incêndio em uma discoteca de Bangcoc, capital da Tailândia, que estava cheia pela celebração do ano novo, informou a Polícia e os serviços de resgate.

O subdiretor-general da Polícia nacional, o general Jongrak Juthanon, assinalou que entre as vítimas havia algumas de nacionalidade estrangeira e, embora não tenha precisado o número, apontou que eram de Austrália, Holanda, e Japão.

O incêndio ocorreu na discoteca Santika, situada no distrito de Ekamai, região cheia de clubes noturnos e locais de diversão em geral, disse Wotanan Wongsanga, chefe da delegacia local da Polícia.

As chamas tomaram o local por volta da meia-noite na hora local, levando o pânico às centenas de clientes que buscaram a forma de fugir pela pequena porta da discoteca, quase um por um.

O tenente-coronel Wongsang assinalou que até o momento se desconhecem as causas do incêndio, embora outras fontes policiais apontem que poderia ter sido um curto-circuito ou a explosão de fogos no local.

O subdiretor da Polícia metropolitana, o general Viboon Bangthamai, disse à imprensa, que por causa das queimaduras ou da asfixia, 53 pessoas morreram ainda no interior da discoteca e outras seis depois que foram levadas a hospitais.

Quando os bombeiros chegaram ao lugar várias dezenas de pessoas continuavam presas no interior do local e gritando por ajuda.

Os bombeiros conseguiram apagar as chamas somente duas horas depois. "Depois de ouvir explosões, alguém gritou fogo", declarou um dos trabalhadores da discoteca ao "Canal 3", da televisão tailandesa.

Segundo algumas testemunhas, as chamas começaram no primeiro dos três andares, onde havia cerca de mil pessoas, em sua maioria jovens.

A maior parte dos feridos foi levada aos hospitais de Ramkhamhaeng e Kluynam Thai, em ambulâncias e caminhonetes dos serviços de urgência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.