Sobe para 40 o número de mortos após atentado terrorista no Paquistão

ISLAMABAD - As autoridades paquistanesas confirmaram que pelo menos 40 pessoas morreram e 112 ficaram feridas no atentado suicida cometido ontem contra uma procissão xiita na cidade de Karachi, informou nesta terça-feira à Agência EFE uma fonte policial.

EFE |

O suicida utilizou pelo menos 16 kg de explosivos no atentado, o terceiro ato terrorista registrado na metrópole de mais de 14 milhões de habitantes em três dias, segundo o canal privado "Geo TV".

Pouco depois do atentado, houve correria e fiéis xiitas atearam fogo em 15 veículos e apedrejaram a Polícia.

Reuters
Multidão no local onde ocorreu o atentado no Paquistão


A procissão xiita - corrente do Islã minoritária no Paquistão - passava pela avenida Jinnah no momento da explosão.

O primeiro-ministro do Paquistão, Yousuf Raza Gillani, condenou o atentado e pediu à população para manter a paz durante a festividade.

Uma porta-voz da província de Sindh disse que cerca de 100 mil policiais e 5 mil agentes de um corpo especial das forças de segurança estão mobilizados na cidade.

O "nazim" - máxima autoridade civil de Karachi - Mustafá Kamal disse à imprensa que o ataque não é só contra uma confissão religiosa concreta, mas contra todo o Paquistão.

Desde ontem à noite, ocorrem longas procissões xiitas nas principais cidades do Paquistão, onde foram intensificadas as medidas de segurança, diante do temor de episódios de violência confessional.

A festividade da Ashura, o décimo dia do mês de Muharram, lembra o martírio do imame Hussein, neto do profeta Maomé, que um dia antes de morrer foi derrotado na batalha de Karbala, junto com 72 companheiros, no ano de 680 pelo Exército do califa omíada Yazid.

Leia mais sobre: Paquistão

EFE igb-mb/fm

    Leia tudo sobre: atentadopaquistãoterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG