Sobe para 20 o número de militares britânicos mortos no Afeganistão este mês

Londres, 25 jul (EFE).- Uma explosão no sul do Afeganistão causou a morte de um soldado britânico hoje, que se tornou a 20ª vítima militar do Reino Unido no país este mês, informou hoje o Ministério de Defesa da Grã-Bretanha.

EFE |

O oficial, do 40º Regimento Real de Artilharia, morreu durante uma patrulha no distrito de Lashkar Gah, na província de Helmand.

Até o momento, 189 membros das Forças Armadas britânicas morreram no país asiático, desde a invasão da coalizão liderada pelos Estados Unidos, em novembro de 2001.

O elevado número de vítimas da chamada "Operação Garras de Pantera", em Helmand, que tem o objetivo de enfraquecer os talibãs a poucas semanas das eleições gerais afegãs, provocou inquietação no Reino Unido.

O Comitê de Defesa da Câmara dos Comuns advertiu na semana passada que a falta de helicópteros está afetando a proteção das tropas britânicas no Afeganistão.

No entanto, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, insistiu que as forças do Reino Unido em território afegão têm os recursos suficientes para completar a atual operação contra os talibãs.

O soldado morreu um dia depois que o ministro da Defesa britânico, Bob Ainsworth, anunciou o envio de 125 militares a mais ao Afeganistão, para manter o nível das tropas, devido ao aumento de mortos e feridos nas últimas semanas.

Segundo o ministro, o Governo britânico pretende deixar um contingente de 9 mil soldados no país, como parte da Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, na sigla em inglês) da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, frente aos 8.300 que mantinha anteriormente. EFE pa/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG