Pequim, 30 dez (EFE).- O julgamento contra dois acusados pela adição de melamina ao leite antes de vendê-lo às companhias começou hoje, com o que sobe para 17 os processados pelo escândalo na China, que podem ser condenados, inclusive, à morte, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Um tribunal de Shijiazhuang, na província chinesa de Hebei, acusou Geng Jinping e Geng Jinzhu de acrescentar 434 quilos de "pó de proteína" com melamina a 900 toneladas de leite que depois venderam, entre outras, a Sanlu, maior companhia láctea do país asiático e principal envolvida no escândalo.

Ambos acusados teriam recebido cerca de 3 milhões de iuanes (US$ 408 mil) com a venda do leite contaminado entre outubro de 2007 e agosto de 2008, segundo a acusação.

Amanhã está previsto que comece o julgamento contra a ex- presidente de Sanlu Tian Wenhua, cuja companhia foi a maior envolvida no escândalo e que se declarou em quebra. EFE trr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.