Sobe para 140 número de mortos em enchentes nas Filipinas

Subiu para 140 o número de mortos nas enchentes que atingiram as Filipinas neste fim de semana, informou o secretário de Defesa, Gilberto Teodoro, que está coordenando os esforços de resgate. Outras 32 pessoas permanecem desaparecidas.

BBC Brasil |

O chefe do Conselho Nacional de Coordenação de Desastres, Anthony Golez, afirmou que faltam recursos para lidar com a escala do desastre.

As chuvas torrenciais causadas pela tempestade tropical Ketsana provocaram enchentes na capital, Manila, e em outras 25 províncias no sábado.

Cerca de 80% da área da capital ficou embaixo d'água submersa, deixando 450 mil desabrigados. Mais de 115 mil pessoas estão em abrigos improvisados.

A energia elétrica e os telefones permanecem cortados em partes de Manila, enquanto representantes do governo local afirmam que falta alimentos, água e comida para os sobreviventes abrigados em campos improvisados.

"Nós estamos nos concentrando em esforços maciços nas operações de ajuda. O sistema está sobrecarregado, as unidades locais de governo estão sobrecarregadas", disse Golez à imprensa.

Soldados, policiais, médicos e um grande número de voluntários estão envolvidos nos esforços para ajudar as vítimas das enchentes, disseram as autoridades.

Calamidade
Durante o fim de semana, o governo declarou "estado de calamidade" em Manila e 25 províncias, permitindo o acesso a fundos de emergência.

A presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, visitou algumas das áreas devastadas pedindo calma em relação ao que chamou de "evento extremo" e pedindo doações para os esforços de resgate.

Alguns moradores enviaram e-mails à BBC contando suas experiências.

Ramil Digal Culle, de Cavite City, ao sul de Manila, disse que passou a noite junto a várias famílias preso em telhados, sem comida ou água.

"As mães estavam trabalhando quando ocorreu a enchente e ficaram presas comigo, sem poder ir para casa", escreveu ele.

"É estranho que eu possa ter acesso a internet durante o desastre para descrever essa experiência... enquanto o governo luta contra a escassez de equipamentos de resgate."
Algumas autoridades teriam dito que os canos e esgotos cheios de lixo, além da maré alta, teriam contribuído para a enchente.

"É trágico que as pessoas tenham se afogado dentro de suas casas quando caiu a tempestade", disse o governador da província de Bulacan, Joselito Mendoza.

O chefe do serviço de meteorologia das Filipinas, Nathaniel Cruz, disse que mais de 40 cm de chuva caíram sobre Manila em apenas 12 horas, no sábado. A média de chuva para todo o mês de setembro foi de 39 centímetros.

O recorde anterior, de 33 centímetros de chuva ao longo de 24 horas, foi registrado em junho de 1967, acrescentou Cruz, que responsabilizou as mudanças climáticas pelas enchentes.

A tempestade Ketsana, cujos ventos atingiram 100 km por hora, chegou às Filipinas no sábado de manhã, cruzando a ilha principal, Luzon, antes de seguir para o mar do Sul da China.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG