Governo decreta luto nacional pelas vítimas da tragédia que completa uma semana neste domingo

Subiu para 1.239 o número de mortos nos deslizamentos que ocorreram na China, em especial na regiao de Zhouqu , na província noroeste chinesa de Gansu. Segundo o último boletim divulgado pela autoridades chinesas, 505 pessoas estão desaparecidas.

O governo chinês decretou que o domingo, quando a tragédia completa uma semana, seja dia de luto nacional pelas vítimas de Zhouqu. As bandeiras nacionais serão hasteadas a meio mastro em todo o país, além de embaixadas e consultados chineses em outros países.

Mais de 4 mil pessoas e 1,3 mil veículos estão isolados por estradas bloqueadas. Dos afetados, 700 estão na zona turística de Sanjiang e 300 na cidade de Yingxiu, onde em 2008 um terremoto matou aproximadamente 6,7 mil de seus 9 mil habitantes.

O Centro de Meteorologia da China advertiu que nos próximos dias mais chuvas fortes devem atingir o país.

As províncias mais afetadas serão Heilongjiang, Jilin, Liaoning, e até no domingo choverá também em Sichuan, Shaanxi, Shandong e Yunnan. Também existe preocupação quanto a possíveis surtos epidêmicos em todo o país por causa do calor e do acúmulo de água e resíduos.

A China vive o pior período de monções em 12 anos, com mais de 3,4 mil mortos e desaparecidos desde o início da temporada, em maio, com danos comparáveis aos produzidos pelas enchentes do rio Yang-tsé em 1998, que deixaram mais de 4 mil mortos e 140 milhões de deslocados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.