Tamanho do texto

Jacarta - Subiu para 101 o número de mortos na queda de um avião da Força Aérea da Indonésia, há dois dias, na ilha de Java, enquanto continuam as investigações sobre as causas do acidente.

Entre 101 mortos há 14 crianças, enquanto os feridos se recuperam nos hospitais da província de Java Oriental.

O chefe da comissão parlamentar do Ministério da Defesa, Yusron Ihza Mahendra, culpou o Executivo pela tragédia, por ter reduzido para menos de 10% o total do orçamento para manutenção da frota de aviões da Força Aérea.

O aparelho, um Hércules C-130 da Força Aérea, primeiro se chocou contra várias casas antes de tocar em terra no meio de um arrozal na província de Java Oriental.

A bordo viajavam mais de 100 pessoas, entre elas várias crianças, pois alguns dos ocupantes eram oficiais e soldados que estavam com suas famílias.

AP

Vários moradores da área relataram a rádios locais que escutaram uma forte explosão e que, logo em seguida, uma das asas se desprendeu da aeronave, que então começou a voar baixo sobre um grupo de casas antes de explodir e se partir em dois ao cair no meio do arrozal.

Os restos carbonizados da fuselagem do aparelho se encontram espalhados por uma enorme área coberta de barro.

As autoridades inicialmente descartaram a meteorologia como causa do acidente, mas o chefe das Forças Armadas, general Djoko Santoso, comentou que havia um pouco de neblina na região, e que aconteceu uma leve mudança de temperatura.

Já o ministro da Defesa indonésio, Juwono Sudarsono, lamentou que o orçamento de seu departamento seja insuficiente para garantir uma manutenção adequada de sua frota de aviões.

Sudarsono disse que vai deixar em terra todos os Hércules C-130 da Força Aérea, caso seja demonstrado que o acidente aconteceu devido a uma falha mecânica ou técnica do aparelho.

Há uma semana, a chefia da Força Aérea indonésia ordenou a inspeção de todos os aviões da frota de Hércules C-130, depois de um deles sofrer um acidente em um aeroporto da remota região de Papua sem o trem de aterrissagem traseiro.

Já há quase 20 anos, a Aeronáutica da Indonésia sofre com a falta de recursos financeiros e de peças de reposição. Tanto os altos comandantes, quanto o Governo, admitem que é necessário um forte investimento para modernizar sua obsoleta frota.

Uma fonte militar revelou que o Hércules que caiu está em atividade desde a década de 70.

A maioria dos aviões deste modelo, muitos de segunda mão, foi adquirida entre 1960 e 1975.

Leia mais sobre: Indonésia