Pelo menos seis pessoas estão desaparecidas no país, afetado por inundações e deslizamentos de terra

Moradores de Hengchu, nas Filipinas, são retiradas de área afetada por tufão em uma escavadeira
AP
Moradores de Hengchu, nas Filipinas, são retiradas de área afetada por tufão em uma escavadeira

As autoridades das Filipinas elevaram para dez o número de mortos pelas inundações e deslizamentos de terra causados pelo tufão Nanmadol, que também provocou a retirada de 7 mil pessoas no norte do país. Entre as vítimas fatais estão cinco crianças.

Em San Fabian, na província de Pangasinan, dois irmãos morreram após o tufão destruir a casa onde moravam. As vítimas - uma menina de seis anos e um menino de cinco anos - ficaram mais de duas horas enterrados na lama e cobertos por detroços até seus corpos serem resgatados por bombeiros.

Em Baguio, uma parede de concreto próxima a um depósito de lixo entrou em colapso e matou três irmãos com idade entre 10 e 15 anos. Segundo a Defesa Civil, ao menos seis pessoas continuam desaparecidas.

O tufão afetou cerca de 50 mil pessoas, das quais 7 mil estão em abrigos. Nanmadol, que entrou no arquipélago na quinta-feira com ventos de até 240 km/h no extremo norte do país, se dirige em direção a Taiwan, segundo o serviço meteorológico filipino.

No mês passado, 72 pessoas morreram nas Filipinas pela ação combinada de uma tempestade tropical e de um tufão, que afetou 1 milhão de habitantes. Entre 15 a 20 tufões afetam o país a cada ano durante a estação chuvosa, que pelo geral começa em maio e conclui novembro.

Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.