Sobe a 6 número de mortos pelas chuvas em El Salvador

Presidente deixa país em alerta por causa de depressão tropical Agatha; fenômeno deixa 12 mortos na Guatemala

iG São Paulo |

O número de mortos pelas chuvas agravadas pela depressão tropical "Agatha" em El Salvador subiu para seis com a morte, durante a madrugada, de três menores de idade, informou neste domingo a Cruz Vermelha.

"Duas meninas e um menino morreram em Jayúa (no Departamento de Sonsonate) quando a casa deles desabou no sábado à noite", declarou à Agencia Efe o porta-voz da Cruz Vermelha, Carlos López, sem dar mais detalhes.

As mortes se somam às três registradas em outras regiões do país, entre elas a de uma menina de 10 anos atingida por um raio e as de dois homens que foram arrastados por correntezas causadas por enchentes.

O presidente do país, Mauricio Funes, decretou na madrugada deste domingo alerta vermelho para atender às emergências causadas pelas intensas chuvas que há vários dias castigam o país e que foram intensificadas por "Agatha", fenômeno formado no sábado nas águas do Pacífico da Guatemala .

Segundo o Serviço Nacional de Estudos Territoriais de El Salvador, a tempestade tropical "Agatha" foi rebaixada para depressão tropical após entrar em território guatemalteco ainda no sábado.

Reuters
Pessoas observam em Barberena, Guatemala, ponte ser levada por enxurrada depois da passagem da depressão tropical Agatha
Efeitos na Guatemala

Os guatemaltecos, que já sofriam os efeitos da erupção de um vulcão Pacaya , suportaram no sábado a ação de Agatha. As chuvas associadas à depressão tropical deixaram 12 mortos no país, segundo o governo.

Entre os mortos estão quatro crianças, que morreram depois que uma avalanche de terras caiu sobre suas casas em San José Pinula, 17 km a leste da capital guatemalteca, segundo a Coordenação Nacional para a Redução de Desastres (Conred). Registros da Conred dão conta de mais de 20.000 afetados, dos quais 8.737 tiveram que ser retirados das regiões atingidas.

Agatha foi a primeira tempestade tropical da temporada e alcançou ventos máximos de 65 km/h. Por causa das chuvas fortes, também foram registrados desabamentos que obstruíram importantes estradas e cheias de rios, informou o presidente Álvaro Colom em coletiva de imprensa.

No município de Almolonga, oeste da capital, foram resgatados 12 turistas austríacos e americanos, presos no local por causa do bloqueio da estrada.

A tragédia para os guatemaltecos começou na quinta-feira, quando o vulcão Pacaya entrou em erupção inundado de cinzas boa parte do país, incluindo a capital que virou uma imensa praia por causa da grossa camada de sedimentos que cobriu as ruas. A erupção deixou dois mortos, três crianças desaparecidas, 59 feridos e 2 mil desalojados, segundo informes oficiais. Também obrigou ao fechamento do aeroporto internacional da Guatemala.

As operações aéreas continuarão suspensas por pelo menos os próximos cinco dias por causa da grande quantidade de cinzas na pista. Os dois fenômenos naturais levaram o presidente Colom a ampliar o estado de emergência em nível nacional, que já regia nos três departamentos afetados pela atividade do vulcão Pacaya, de 2.552 metros de altura.

Para enfrentar estas duas emergências, Colom anunciou que contrairá um empréstimo de 85 milhões de dólares com o Banco Mundial.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: El salvadortempestade tropicalagathaGuatemala

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG