BOGOTÁ (Reuters) - A Corte Suprema da Colômbia ordenou na terça-feira a prisão de um senador suspeito de ligação com esquadrões paramilitares de ultradireita, elevando a 28 o número de legisladores detidos por essa razão. Segundo fontes judiciais, os parlamentares fizeram acordos com líderes paramilitares ou receberam apoio financeiro para conseguir votos em áreas controladas por essas organizações ilegais. A crise provocada pela prisão desses políticos, quase todos aliados do governo, não afetou a popularidade do presidente Álvaro Uribe, que obteve em março 82 por cento de aprovação, seu melhor índice desde a posse, em 2002.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.