A empresa Skype -que oferece serviços de trocas de mensagens escritas e de voz pela internet- permite que as autoridades chinesas espionem os usuários de seus serviços de comunicação na rede de computadores, segundo um estudo divulgado por investigadores canadenses.

A TOM-Skype, uma empresa formada pela Skype (filial da eBay) e a sociedade chinesa de telecomunicações TOM Online, armazenaria mensagens escritas de seus usuários, selecionadas por meio de filtros como "Tibete" ou "Partido Comunista", de acordo com o estudo do Citizen Lab, um grupo de investigação da Universidade de Toronto.

Em um relatório de 16 páginas, o Citizen Lab indicou que "a TOM-Skype está censurando e armazenando mensagens de texto que contenham palavras-chave específicas e sensíveis, e poderia realizar um controle mais dirigido", indicou.

Após a divulgação do informe, a Skype indicou que estava "extremamente preocupada" com o controle de seu 'chat' na internet por parte de seu sócio chinês.

A Skype assegurou que recebeu informações nesta quarta-feira de que um filtro que bloqueava a difusão de mensagens com algumas palavras havia sido alterado.

"Nos desculpamos profundamente pela violação da privacidade das mensagens de texto nos servidores da TOM na China e estamos tentando urgentemente resolver a situação com a TOM", indicou a companhia.

O relatório do Citizen Lab foi divulgado nesta quarta-feira no site do Information Warfare Monitor, um projeto ae Citizen Lab e do SecDev Group, um grupo especializado em temas de segurança com sede em Ottawa.

cl-chr/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.