Sky News, de Murdoch, admitiu ter autorizado monitoramento de emails

Escândalo envolvendo canal de TV vem à luz após tabloide britânico do magnata australiano fechar por escutas telefônicas ilegais

iG São Paulo |

Menos de um ano depois do escândalo de escutas telefônicas ilegais por jornalistas do tabloide News of the World , o canal de TV Sky News, também de Rupert Murdoch, admitiu ter autorizado duas vezes que repórteres tivessem acesso a computadores para obter informações privadas.

Pressão: Filho de Murdoch renuncia à presidência de operadora de TV

Em comunicado nesta quinta-feira, a Sky News disse que uma vez teve acesso a emails de Anne e John Darwin, conhecido como o “casal da canoa”, que ficou famoso na Grã-Bretanha depois de ele fingir sua própria morte em um acidente de navegação como parte de um plano para conseguir o dinheiro do seguro.

AP
Entrada da sede em Londres da BSkyB, cujo canal Sky News autorizou repórteres a ter acesso ilegal a emails
A Sky News reconheceu ter interceptado os emails do casal, mas disse que o material foi obtido pela polícia. “Entendemos por essas ações como editorialmente justificáveis e de interesse público. Não tomamos decisões como essa facilmente ou com frequência”, afirmou o direitor John Ryley em comunicado, ao insistir que nada de errado havia sido feito.

Ele acrescentou ainda que, em 2004 durante uma investigação, jornalistas da Sky News compraram uma submetralhadora Uzi para ilustrar a disponibilidade de armas proibidas no Reino Unido. Em 2003, um repórter se inflitrou em uma área restrita do Aeroporto de Heathrow, em Londres, para mostrar falhas de segurança. “Essas investigações servem ao interesse publico e são parte legítima de um jornalismo responsável”, disse Ryley.

Início

O escândalo começou quando John Darwin – tido como morto em um acidente em uma embarcação no Mar do Norte – entrou em uma delegacia de polícia no fim de 2007 e disse: “Acho que sou uma pessoa desaparecida”. Ele disse que tinha amnésia e não conseguia se lembrar nada desde 2000. A história acabou sendo revelada por jornalistas e fez com que a polícia investigasse o caso.

A Sky News não identificou qual dessas histórias foi resultado de grampos ilegais, mas em uma matéria de 2 de julho de 2008, o jornalista Gerar Tubb disse que o canal havia descoberto evidências em documentos mostrando que John Darwin decidiu voltar à Inglaterra porque estava tendo problemas em ficar no Panamá. “Descobrimos um email”, começa a matéria sem dar qualquer explicação sobre como a mensagem foi obtida.

A Sky News pertence à plataforma televisiva BSkyB, cujo primeiro acionista é a News Corporation, o grupo do magnata americano Rupert Murdoch, abalado desde o ano passado pelo escândalo das escutas telefônicas ilegais realizadas por funcionários do hoje extinto jornal dominical News of the World. O filho do magnata, James Murdoch, demitiu-se na terça-feira da presidência da BSkyB, argumentando que não queria que o escândalo prejudicasse a companhia.

David Allen Green, advogado na Preiskel & Co, condenou a conduta da empresa. “Não é possível para o editor de qualquer organização de notícias autorizar atos criminosos”, disse Green, crítico ferrenho da News Corporation , principal empresa de Rupert Murdoch.

Segundo ele, a Promotoria britânica pode decidir que a prática adotada pela empresa não serviria ao interesse público e indiciar a Sky News. “Como a Sky News decidiu grampear emails da própria polícia, parece que toda a execução foi decidida para não estar de acordo com o interesse público”, disse Green em seu Twitter.

O grampeamento de emails feito pela Sky News, noticiado primeiro pelo jornal britânico The Guardian, pode vir a ser uma dor de cabeça ainda mais forte para Murdoch. Seu império de mídia internacional passou a maior parte do ultimo ano sendo manchete de jornais pelo escândalo em torno dos grampos ilegais feitos pelo tabloide News of the World, no qual jornalistas grampearam telefones de celebridades, famílias de vítimas de violência e soldados mortos no Afeganistão .

A News Corporation possui uma participação de 39,1% na BSKyB, que é dona da Sky News. Depois dos escândalos de grampos ilegais em julho, Murdoch foi obrigado a abandonar as negociações em torno da aquisição completa da operadora de TV via satélite.

Após as notícias de grampos ilegais pela SkyNews, as ações da BSkyS caíram cerca de 2,8% e chegaram a US$ 10,11.

*Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: rupert murdochjames murdochmurdochnews of the worldsky newsbskyb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG