O enviado especial da Grã-Bretanha a Mianmar, Mark Malloch-Brown, disse neste domingo que a operação de ajuda internacional às vítimas do ciclone Nargis está agora começando a funcionar. Malloch-Brown disse à BBC que, apesar de apenas 25% das vítimas terem recebido ajuda necessária, ele está observando mais ajuda americana e britânica sendo utilizada no país.

Mais de 78 mil pessoas já morreram e 56 mil estão desaparecidas desde que o ciclone Nargis atingiu diversas partes de Mianmar neste mês.

A junta militar que governa o país tem sido criticada internacionalmente por não permitir que grupos humanitários de fora entrem no país.

Telefonemas recusados
A ONU também destacou um enviado para Mianmar para pressionar o país a permitir que a ajuda internacional chegue às pessoas.

John Holmes deve se encontrar na segunda-feira com integrantes da junta militar. Ele traz uma carta do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, para o líder de Mianmar, Than Shwe, que tem se recusado a responder aos telefonemas de Moon.

Holmes também visitará a região do delta do Irrawaddy, uma das mais atingidas pelo ciclone.

Apesar da sinalização do enviado britânico de que a situação está melhorando no país, Mianmar continua sendo alvo de críticas internacionais.

Em entrevista à BBC no sábado, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, repreendeu o governo militar por não permitir a entrada da ajuda internacional.

Na sexta-feira, o embaixador da França na ONU acusou o governo de Mianmar de estar prestes a cometer um crime contra a humanidade.

Leia mais sobre: Mianmar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.