Genebra - A situação dos civis no Vale do Swat, que fica no norte do Paquistão, é muito grave, disse neste domingo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), que neste fim de semana conseguiu ter acesso à região pela primeira vez desde que começaram os confrontos entre o Exército e os talibãs.

Em nota divulgada neste domingo, a entidade se mostra "profundamente preocupada com a grave situação dos civis", motivo pela qual apelou a "uma resposta humanitária urgente".

"As pessoas no Vale do Swat precisam de proteção humanitária e assistência imediata", afirmou Pascal Cuttat, chefe da Cruz Vermelha no Paquistão.

O grupo do CICV que conseguiu entrar no vale ajudou cerca de dez de pessoas que precisavam urgentemente de tratamento médico a deixar a região.

"O povo ficou bloqueado durante semanas. Não há água corrente, nem luz, nem comida. Não há combustível para os geradores e a maioria das instalações sanitárias não está funcionando", disse Daniel O'Malley, que liderou o grupo da Cruz Vermelha visitou na visita ao Vale do Swat.

"Os poucos hospitais que estão funcionando não têm água nem luz, e estão absolutamente sobrecarregados", acrescentou O'Malley.

Os confrontos entre militares e rebeldes na região já provocaram o deslocamento interno de 2,4 milhões de paquistaneses.

Leia mais sobre: Vale do Swat

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.